Carta para Motorola

fevereiro 18, 2011 § 2 Comentários

Caro SAC Motorola,

Minha intenção é que esse texto fosse lido por alguém do desenvolvimento e da diretoria da Motorola, mas sabendo como funciona o esquema de service desk, sac e essas coisas, sei que raramente passará do SAC.

Em fevereiro de 2010 iniciei um trabalho de pesquisa para identificar qual celular eu compraria, estava afim de trocar meu Nokia 3120c 3g, por um smartphone que fizesse com que algumas dores de cabeça fossem resolvidas. Pesquisei nos meus sites favoritos de tecnologia e procurando quais aparelhos estavam disponíveis no Brasil, foi quando encontrei o Motorola Dext, até então apresentava a mesma média de preço do concorrente iPhone 3gs, e todos os outros smartphones da época.

Escolhi esse aparelho por dois motivos, hardware bacana, teclado físico, e sistema operacional Android, que pra mim na época era o sistema operacional para mobile que revolucionava o mercado, e quando comprei meu Dext, fazia muito sentido no inicio.
Quando tirei meu aparelho da caixa e liguei, senti um pouco de lentidão na utilização, mas o motoblur (que aparentemente é o que causava a lentidão) trazia inúmeras vantagens que pra mim compensavam esse pequeno “desajuste” do aparelho. Sabia que minha versão do Android era a 1.5-cupcake, mas também sabia que já existia a versão 2.1 no mercado, e que o aparelho Android de um amigo meu já rodava com ela, então resolvi ir atrás das atualizações para a versão 2.1.

Na época encontrei o roadmap de atualizações da motorola, e me deixou bastante animado com a informação de que na América Latina a atualização viria no por volta de setembro, então mesmo que eu soubesse isso na hora da compra teria comprado, pois sabia que em alguns meses teria um upgrade e meu celular ficaria compatível com os novos softwares, e poderia desfrutar melhor do Market (a loja de aplicativos do android).

No fim do ano começou uma grande epopeia, a comunidade dizia que o desenvolvimento da Motorola já estava homologando o update, no Brasil tínhamos informações de que a claro já estava terminando a fase de testes, existia até um vazamento da versão oficial europeia, tudo caminhava para um caminho bacana. Ai então a Motorola anunciou sua nova lista de updates, que mostrava que os aparelhos com 1.5 na America Latina continuariam com a versão 1.5, e depois ainda que apenas os EUA receberiam update para a versão 2.1, que nesse momento também já era obsoleta, o 2.2-Froyo já estava no mercado.

Como não sou um usuário comum, arregacei minhas mangas e decidi colocar uma das versões 2.1 alternativas que a comunidade já tinha disponibilizado e customizado, que sem duvida era muitas vezes mais rápido que a versão que eu usava, e muito mais rápido que o leak vazado da Motorola.

Eu tinha muitos motivos para usar o Android, eu adoro ter a possibilidade de abrir um terminal linux no meu aparelho, usar o ‘vi’, telnet, e tudo que um linux pode me oferecer, gosto também do potencial de personalização, e do fato de ser um sistema que a comunidade pode trabalhar em cima, desde que o fabricante disponibilize os drivers para esse fim, que como sabemos não faz parte da politica dos fabricantes. Relutei por meses, consegui convencer com meus motivos em todas as discussões que tive, de que o Android era a melhor opção pelo menos pra mim, um Power User, que gostava de personalizar meu aparelho, e utilizar funções não usuais para usuários de iPhone, eu realmente levantei a bandeira do Android.
Depois de refletir muito sobre o assunto, e de estar tão decepcionado com a política de smartphones das empresas no geral, com exceção da HTC que fornece atualização sempre para todos os aparelhos, e vi que demorei muito para aceitar uma triste realidade:

Eu comprei um aparelho em que o valor era absurdamente alto, 1400 reais (em média), é um valor muito alto em um aparelho, e mesmo que nós tentemos nos enganar dizendo que “saiu por 500 reais no plano XPTO”, não existe almoço grátis, esse valor não foi abatido, foi apenas subsidiado pela operadora, e será descontado em dolorosas prestações no valor da sua conta, ou você acha que o custo operacional do seu plano são 150 reais por mês? Enfim, comprei um aparelho que saiu da loja praticamente 2 anos obsoleto, com uma versão de sistema operacional não mais suportada, e que muitos aplicativos já não eram mais compatíveis, acreditei que em alguns meses teria um aparelho atualizado, mas mesmo no prazo para o lançamento que existia, meu aparelho seria atualizado, mas continuaria obsoleto, ou seja, me senti muito enganado nesse momento.

Empresas como a Sony e a Samsung que também utilizam Android em seus aparelhos também já anunciaram que não lançariam mais updates para seus aparelhos, alguns com apenas 1 ano de mercado, quanto o rival iPhone, ainda lança updates para sua primeira versão 3g, lançada em 2008. Os usuários são enganados por estatísticas feitas de forma incorreta, aonde anunciam que a fatia de mercado (market share) do android é maior do que a de iphones, uma vez que estão colocando Android em qualquer coisa com botão e tela, e iOS segue um padrão rigoroso de qualidade sendo suportado obviamente por apenas um aparelho, o próprio iPhone.


Vamos encarar a realidade, a usabilidade do Android não é tão intuitiva assim, para usuários normais nem boa pode ser considerada, meu Dext faz tudo que meu dumb phone fazia, o velho 3120classic 3g, o desenvolvimento de aplicativos para Android segue um ritmo lento, com aplicações feias e sem utilização funcional, as propagandas são irritantes, e comem uma grande parte do plano de dados (caso não seja ilimitado). Sem duvida existem bons aplicativos, mas a falta de uma política de validação para o que é lançado no Market acaba fazendo com que seja uma tarefa árdua encontrar um bom aplicativo naquela selva sem dono.

Por fim, minha experiencia como cliente Motorola, e usuário Android não foram satisfatórias, não recomendo mais nenhum amigo comprar um aparelho e olha que depois de mim outros 5 tinham comprado acreditando nisso, me sinto até envergonhado perante aos meus amigos, que muitos deles já passaram seu telefone adiante e trocaram ou por Blackberry, ou por iPhone, já que são as plataformas mas estáveis do mercado. 1.400/1.500 reais é um valor muito alto para ser descontinuado no prazo de um ano, e muito alto por um aparelho desatualizado, são quase 3 salários mínimos, conheço famílias que vivem com menos da metade disso. Entendo que para vocês a política mais simples é remover o aparelho do mercado, e inserir uma versão mais nova do aparelho faturando novamente a venda, mas se vocês não conseguirem fidelizar seus usuários, ninguém mais vai comprar de vocês.

Atenciosamente,

Alberto Brandão de Carvalho
Consultor de Tecnologia

Anúncios

Marcado:, , , , ,

§ 2 Respostas para Carta para Motorola

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento Carta para Motorola no Brain Dump.

Meta

%d blogueiros gostam disto: