5 Melhores textos que li em fevereiro.

fevereiro 27, 2012 § Deixe um comentário

Eu leio uma quantidade absurda de artigos diariamente. Meu pulse tem  5 abas com assuntos de meu interesse, cada aba tem pelo menos 5, normalmente 8, feeds de blogs, sites ou agregadores de blogs.  Leio todos os novos artigos dos feeds diariamente, favoritando os mais interessantes.

Me sinto mal as vezes por não compartilhar o conteúdo interessante que encontro, então mensalmente vou catalogar os melhores artigos que li em um pequeno post, contando o porque achei interessante ou com uma breve descrição.

1. Podcast for Hackers, Design Pepper (via Hacker News)

Eu amo podcasts, para mim todo grande site deveria ter seu próprio podcast. É uma inteligente forma de aprofundar um tema abordado em um artigo, trazendo opiniões e sentimentos mais vivos.

Esta lista me apresentou alguns podcasts fantásticos, que foram paixão assim que assinei o feed. A lista envolve conhecimentos gerais, programação e negócios. Vale muito conferir.

Mais indicado: Writing Excuses – Como escritores constroem seus mundos? Que ferramentas usam? Como fazem conexões de suas ideias? Aprenda tudo isso em um podcast de 15 minutos. Um podcast rápido, porque como eles mesmo dizem: “Você está com pressa, e nós não somos tão espertos”.

2. How i learned to Program, Randall Degges

(via Hacker News)

Um texto foda! Ele mostra a forma como aprendi a programar e grande parte dos meus amigos que programam desenvolveram sua capacidade de Trouble Shooting. É um bom lembrete para os programadores de profissão, que aprenderam a programar em cursinhos de visual basic e não entendem a real essência de quem escreve códigos para conversar com a máquina. A beleza artistica do processo de entender o que está por trás da tecnologia, a curiosidade que move a evolução.

3. Strategy Analytics: Nokia tops global handset shipments

Quem acompanha a alta tecnologia costuma sofrer daquela básica miopía de mercado, principalmente os fans entusiastas do consumo. Muito fácil se confundir em uma discussão e acreditar que a Nokia não é mais a mesma e que a Apple domina o mercado mundial de telefonia móvel. Pense de novo.

Apesar de popular, os smartphones representam uma mínima fatia do mercado de aparelhos móveis. O grande publico ainda consome aparelhos “burros” massivamente. Aparelhos esse que continuaram sua evolução e se mantendo inovadores no seu desenvolvimento. Hoje em dia qualquer dumbphone da Nokia tem 3g, acessa redes sociais e mensageiros instantâneos. Tudo isso com um preço até 10 vezes menor do que um smartphone.

4. Why You Should Consider Starting Your Own Business (Even if You’re Currently Working Full-Time)

Criar um próprio negócio é uma tendencia moderna. Correndo em sentido oposto aos que clamam por uma vaga em concurso público, centenas de agressivos jovens com mentes empreendedoras decidem diariamente que cansaram de fazer parte da corrida dos ratos, e decidem tomar as rédeas de sua própria vida. Serem responsáveis pelo seu próprio sucesso. Se você ainda não entende porque deveria montar seu próprio negócio, este aqui é para você.

5. The boy who played with fusion.[BEST]

Taylor Wilson é um jovem diferente. Não se parece nem mesmo com os colegas de sua escola para alunos super-gênios, Taylor construiu seu próprio reator de fusão nuclear. Em uma história bizarra, que beira o inacreditável, a PopSci conta como esse garoto conseguiu um feito que apenas 10 outras pessoas até aquele momento foram capazes. O mais impressionante na matéria é como ele conseguiu extrair uma enorme quantidade de urânio.

Indicação de Série – Los Simuladores

fevereiro 22, 2012 § 2 Comentários

Los Simuladores é uma série foda, das melhores que já assisti.

Comecei assistindo com um pouco de preconceito. Por ser em espanhol, acabei duvidando da qualidade do conteúdo, mas bastou assistir o primeiro episódio inteiro para não conseguir mais parar. Os 4 mexicanos da série formam uma empresa um pouco diferente, especializada em resolver problemas. Qualquer problema.

Com um enredo bastante simples, a série acaba surpreendendo não pelas tramas, mas pela criatividade na solução dos problemas. Quando comecei a assistir, imaginava que operações dariam errado, teriam reviravoltas mirabolantes.Não, isso não faz parte da série.

Uma coisa a gente aprende muito rápido, eles nunca erram.

Os casos são dos mais variados: Desde ajudar uma moça a conseguir um preço mais justo na compra de um apartamento, um cara que foi preso a não perder uma prova, até fugir de um banco que está sendo assaltado e recuperar um o emprego de um antigo funcionário demitido injustamente. Tudo com muita ética.

As duas temporadas estão disponíveis no netflix. Também encontrei alguns episódios disponíveis no Youtube.

[youtube:http://www.youtube.com/watch?v=5tZknoNVwV4%5D

Não vemos 4d.

fevereiro 18, 2012 § Deixe um comentário

image

Não entendeu? Veja o video.

[youtube:http://www.youtube.com/watch?v=9VS1mwEV9wA%5D

Cloud Computing | Vivendo nas nuvens.

fevereiro 17, 2012 § 6 Comentários

Nunca gostei da forma que as pessoas estavam tratando a computação em nuvens (cloud computing). Primeiro me choquei pela a adoção das soluções de forma inconseqüente. Mas acabei me encontrando quase na mesma situação, precisando de um intercâmbio fácil de informação e conteúdo, sem querer ficar carregando computadores de um lado pro outro. Explico melhor:

Tenho um computador com Windows no escritório, aonde passo a maior parte do meu dia trabalhando, produzindo, selecionando e analisando conteúdo. Tenho um outro computador em casa com OS X, que a medida que passei a usar mais o computador da empresa, deixei ele um pouco parado, a ponto de ficar meses sem liga-lo. Comecei a levar o notebook da empresa para casa, porque sempre precisava de algo que estava nele, seja uma música, um vídeo, um texto ou um livro. Comprei um tablet para solucionar esse problema, e quando vi estava carregando o tablet e o notebook juntos, não resolvi nada.

Para solucionar ese problema, resolvi centralizar minhas informações, assim eu posso ter acesso a tudo o que preciso, de qualquer dispositivo em qualquer lugar. A ideia inicial era transformar meu macbook em um servidor com FreeBSD, e desenvolvendo um pequeno app que se comunicasse com meu computador pessoal, smartphone e tablet, sincronizando tudo automaticamente o tempo todo. Fazer minha própria nuvem. Esse plano muito mais divertido, mas além de muito caro, eu ainda inviabilizaria macbook.

A solução foi a seguinte:

1. Centralizando filmes e séries

Meu primeiro ponto era o consumo filmes e seriados. Sinto um enorme incomodo no consumo de pirataria, por mais que seja algo culturalmente enraizado eu sinto que é mais legal ter tudo organizado e legalizado. Assinei o Netflix, que se tornou meu principal ponto de consumo de entretenimento. Apesar de não ter muitas novidades, não preciso me preocupar com a legenda ou qualidade. Tudo ali está pronto e com uma ótima qualidade.

Outro ponto que percebi é que utilizando download como base de consumo, não temos tantas opções de escolha, normalmente vamos descobrir filmes novos a partir de indicações de amigos ou procurando em sites. No netflix descobri algumas das melhores séries que já assisti (como Community e Los Simuladores), simplesmente navegando pelo menu e lendo as sinopses. No caso de Los Simuladores, eu tenho absoluta certeza que se não estivesse no netflix, eu poderia nunca ter conhecido. Tenho assistido muito menos lançamentos (não tem tantos no netflix) mas filmes muitos filmes com qualidade excelente e pouco conhecidos. Tudo por um preço ridículo, 15 reais.

Não tenho mais filmes nem séries no computador, baixo apenas séries que acompanho e não tem no netflix, ou que conheci pelo serviço mas não tem todas as temporadas por lá.

2. Música

Queria muito um serviço de musica on-line, andei rondando o Grooveshark, mas queria mesmo o Spotify, que infelizmente não está disponível no Brasil, sendo necessário uma grande volta para conseguir assinar o serviço daqui, preferi deixar pra lá. Um amigo me apresentou ao Rdio (isso rádio sem o a). O serviço que chegou oficialmente através da Oi, e que funciona bem melhor do que o serviço de telefonia celular que eles oferecem :). O Rdio tem um diferencial bem interessante para nós brasileiros, tem musica nacional.

Eu já estava sem paciencia de procurar mp3, minhas pastas de músicas estavam uma completa zona. Normalmente esquecia que já tinha baixado alguma coisa e acabava tendo álbuns duplicados no computador, uma verdadeira zona. Passei então a testar a semana grátis que o Rdio oferece, e gostei muito. Principalmente porque não conheço muita coisa de musica brasileira, a primeira coisa que ouvi, foi um album inteiro do Seu Jorge.

Tudo que procuro nesse serviço é poder ouvir musica de qualidade, descobrir novos artistas ou bandas, ver o que está sendo mais tocado e poder fazer isso de qualquer lugar. Não precisar buscar mp3, passar por sites bizarros com banners perguntando se quero aumentar meu pênis, nem mesmo me perguntar no começo do dia “O que vou ouvir hoje? Deixa eu colocar no hd externo para curtir no trabalho”. Pensei em sincronizar uma gigantesca biblioteca no tablet e só ouvir musica de lá, mas também não pareceu uma ideia legal.

Ainda tenho meu ipod com 80gb de heavy metal, mas já estava cansado de ouvir as mesmas coisas. E sim, tenho uma enorme preguiça de ficar vasculhando sites e forums para achar coisas novas, principalmente não relacionadas a Metal.

Rdio custa 9 reais, optando pelo plano que permite sincronizar sua playlist com dispositivos móvel, deixando disponível offline, 15 pilas. O player para android se intera lindamente com a arquitetura, parece nativo para o sistema.

Enquanto escrevo isso, estou ouvindo Antonio Carlos Jobim – Brasileiro.

3. Documentos, fotos e contatos

Nada deixa deixa uma pessoa mais feliz do que ter seu próprio canto na internet. Comprei o domínio http://www.qgsecreto.com.br para transformar em um negócio, mas enquanto não uso, transformei no meu pedacinho da nuvem.

Associei meu domínio ao plano gratuito do Google Apps, que permite 10 usuários. Assim como já fazia com meu domínio albertobrandao.com.br. Só que digitar albertobrandao.com.br sempre me irritou, é muito grande e trabalhoso (em dispositivos móveis) então transferi toda minha vida online para o QG Secreto dos Ninjas Online.

Ativei todos os serviços, entre ele o Google Docs (docs.qgsecreto.com.br) obviamente dando uma carinha especial para a versão do QGSecreto. Parei de escrever pelo Word/Pages e criar planilhas pelo Excel/Numbers. Vou deixar estes softwares exclusivamente para quando precisar de algo mais bonito e detalhado (quase nunca). Também importei grande parte das coisas que tinha escrito em disco. Se meu computador explodir amanhã, não perco nada de importante.

Apesar de tirar pouquíssimas fotos, elas estão sendo enviadas automaticamente para o Picasa, o que também resolve o problema de armazena-las. Todos os meus contatos, tanto do outlook, quanto do Blackberry e Android estão centralizados no google.

4. Arquivos gerais

Mesmo assim as vezes precisamos guradar conteúdo importante em lugares que podemos ter acesso depois. Então uso o Dropbox para guardar códigos fontes, instaladores, roms, podcasts e todo o resto que não se encaixa em nenhuma outra categoria dessa lista. O diretório do dropbox se tornou minha pasta de trabalho, aonde salvo temporários e tudo mais.

Tenho testado o Box que possui client para tudo que é sistema. Mas em sua versão business($15) garante add-ons para Google Apps, o que faria a centralização do QG Secreto ficar bem mais alto nível, estou pensando ainda. Se o DropBox não aguentar o tranco, eu vejo como faço.

5. Projetos, anotações, lembretes

Algo que não abro mão é ter um lugar para anotar ideias, to-do, anotações para uso futuro, bobeiras e devaneios. Apesar de ser apenas um entusiasta e estar aprendendo, escrever tem sido parte da minha vida.

Já mencionei em outro artigo o uso do Evernote. Essa é uma ferramenta foda, e que facilita a vida de qualquer profissional ou estudante. Não consigo imaginar como alguém pode viver perdida nesse mundo de informações sem ter um lugar para acessar quando precisar, com tudo classificado, organizado por tags, com opção de busca e compartilhamento para terceiros, quando necessário. Tenho Evernote instalado em absolutamente todos os meus dispositivos(Blackberry, Mac, Android, PC). E tem sido de grande ajuda para organizar informações menores e mais confusas que não necessitam de um documento no Docs.

[youtube:http://www.youtube.com/watch?v=OlOLXWvaIy0%5D

Tenho usado também para organizar alguns projetos o Springpad que também é gratuito. E além da versão que uso para o Android, ele possui uma versão para Chrome. Disponível nos principais sistemas operacionais.

Final Feliz

Estou bem satisfeito em toda essa organização. Meus computadores não possuem hd’s muito potentes, e pretendo trocar meu macbook de casa por um macbook air com apenas 64gb de SSD. Meu objetivo foi reduzir ao mínimo a necessidade de armazenamento físico, facilitando o consumo de todo meu conteúdo a partir de qualquer lugar, mesmo que não esteja com meu próprio computador, não ter que responder “putz, ficou lá no outro computador”.

Aonde foram parar os 1337’s?

janeiro 13, 2012 § Deixe um comentário

Lendo o iWoz, livro do Steve Wozniak, senti uma certa nostalgia enquanto ele contava histórias de sua infância, não consigo ler aquelas histórias sem pensar em todas as coisas que passei quando era moleque, com toda tecnologia que estava envolvido mesmo enquanto nem sabia direito o que isso representava. Computadores sempre foram fundamentais para mim. Esse universo de zeros e uns que agora é tão comum para todo mundo era raro naquela época. Muita gente já usava computador para trabalhar, fazer documentos e imprimir trabalhos, mas eu não era assim. Usar computador naquela época era simplesmente desvendar um mundo novo, ir além do que estava na tela.

Todo mundo que conhecia que usava o computador como hobby tinha um nível elevado de conhecimento. Internet era algo raro e muito caro de ser utilizado, esperávamos o relógio bater a meia noite para poder conectar a internet. Não conhecia ninguém que usasse a internet e que não virava a noite conectado, para poder pagar apenas um pulso telefônico. Ser usuário de internet na minha época era fazer parte de uma cultura diferenciada, de um grupo de pessoas que prezavam pela curiosidade, eram pessoas que não estavam satisfeitas em fazer pouco com aquele grande equipamento que compraram.

Nostalgia 

Lembro muito bem de carregar meu pesado computador por várias quadras para usar na casa de um amigo, em uma época onde os computadores não tinham nem placa de rede, então não iriamos jogar um contra o outro, nem transferir arquivos, iriamos simplesmente fuçar nos computadores para descobrir o que dava para ser feito com eles.

Lembro de quando fizemos nossa primeira transferência de arquivos entre computadores, utilizamos um cabo paralelo, entrada que nem existe mais nos computadores modernos, proporcionava muita diversão. Aprendemos ainda nessa época a fazer conexões direta entre computadores simplesmente ligando para casa do nosso amigo, aonde e um computador era conectado ao outro diretamente, sem precisar de um provedor de internet ou bbs (que eram caros cobravam por hora naquela época) e então eramos capazes de transferir arquivos e conversar a noite toda, mas só diretamente. Transferir uma simples foto poderia demorar vários minutos, uma musica poderia demorar várias horas. Na escola, por muitos anos fui o único a ter acesso ao obscuro mundo da internet, que até então só era conhecido por ser o lugar de onde a foto dos Mamonas Assasinas mortos vieram.

Todo mundo que era um pouco mais engajado com tecnologia era curioso, até meus amigos que não tinham tanta curiosidade, sabiam fazer rotinas básicas de programação, nem que fossem if’s e else’s para melhorar a usabilidade dos seus scripts de IRC. E muitas das pessoas com mais conhecimentos na área que eu pude conhecer, não pretendiam trabalhar com computadores, eram apenas curiosos. Os que trabalhavam com isso eram praticamente semi-deuses. Como tinham tanto conhecimento, acredite ou não, nós não tínhamos o google.

Those weeeeeeeere the daaaaaaaaaaaays

Aonde foram parar todos os 1337‘s ?

Lá atrás, qualquer pessoa que trabalhasse com tecnologia era um grande curioso. Usei versões tão primarias do Linux, que chega a ser engraçado ver tudo que o sistema se tornou hoje. O pessoal da tecnologia era acima de tudo pesquisador, buscava novidades, mesmo que não gostasse, utilizava para procurar entender melhor aquela tecnologia. As vezes mesmo que fosse para falar mal, mas mesmo quando falavam, falavam com propriedade.

Sinto falta disso, quando vejo profissionais de tecnologia no mercado hoje em dia. Não contando com meus amigos, que viveram grande parte dessa cultura. Vejo diariamente “Analistas de Sistemas” que só conhecem um sistema, uma tecnologia. Títulos como “Profissionais Microsoft”, pessoas que se dizem especialista em tecnologia, mas nunca utilizaram um sistema Unix na vida, e provavelmente vão falar várias besteiras quando entrarem no assunto. Pessoas que lamentaram a morte de Steve Jobs, mas nem souberam que Dennis M. Ritchie morreu dias depois.

Recentemente vesti uma camisa do FreeBSD para trabalhar, e para minha surpresa, ninguém na empresa sabia o que aquilo significava. BSD é a família dos sistemas operacionais mais estáveis, poderosos e seguros do mundo. FreeBSD é o que roda no coração do tão amado OS X da Apple.

I.T Professionals?

Me frustra saber que profissionais de T.I, uma das mais brilhantes profissões da atualidade, estão se tornando empregados medíocres. Pessoas com pouco interesse e conhecimento apenas o suficiente para exercer sua função atual. Quando sua real função é a de solucionar problemas independente da tecnologia necessária.

Sempre que vejo um profissional de T.I dizendo que não sabe alguma coisa, eu fico puto. Não que seja obrigado a saber tudo, mas porque de onde eu vim, ele viraria algumas madrugadas estudando e saberia o que precisava para resolver o problema. Sou da época em que o pessoal da T.I testava todas as opções possíveis, experimentava tudo o que podia experimentar, fazia exatamente a mesma coisa em todos os sistemas disponíveis, para ai então escolher o que era melhor, ou simplesmente para saber que existem opções e formas diferentes.

Um especialista em T.I que só mexe com uma tecnologia, é como um mecânico que só sabe mexer em um tipo de carro. Disse um amigo, numa discussão sobre Unix que acontecia no meu perfil do facebook enquanto eu escrevia isso.

Tenho muito orgulho de trabalhar com tecnologia, e muito orgulho de ser um curioso, alguém que procura soluções pesquisas, fuça. Alguém que não se contentou em utilizar apenas um modelo de celular, mas testar todos e entender o que em cada um deles me atrai, em utilizar os aparelhos que uso diferente de todas as pessoas, para as coisas que elas jamais vão pensar. Existem pessoas que utilizam produtos, eu utilizo tecnologia.

Serviços no Brasil, por que tão ruim?

janeiro 12, 2012 § 5 Comentários

No Service

Esperamos 30 minutos e não fomos atendidos.

É simplesmente revoltante.

Quanto mais o tempo passa, pior a condição dos serviços prestados pelos brasileiros fica. Empresas completamente sem valores, com interesse na expansão mas sem condições de sustentar o crescimento. Serviços mal prestados por pessoas sem o mínimo preparo profissional. Eu oficialmente começo a perder as esperanças no povo.

Eu tenho a pessoal política de ser educado e gentil com todos. Não importa quem ou o que faz, faço sempre questão de cumprimentar de forma enérgica, com alegria e disposição. Não faço isso por nenhum motivo especial, mas porque acredito que todos devem ser tratados de forma gentil. Se gentileza gera gentiliza, quero ser o primeiro a fazer a minha parte. Mas não tem sido bem assim.

Recentemente troquei de apartamento e precisei conversar com muita gente para fazer o “projeto” funcionar. Desde contratar os serviços necessários para os reparos no apartamento anterior, até serviços mensais como luz e telefonia, que deveriam ser ativados/transferidos para o novo apartamento, e digo para vocês, não tive um atendimento satisfatório em nenhum dos serviços. Estou TÃO desanimado com a prestação de serviços que não sinto vontade de adquirir nada, de usar nada, cogitei até desativar definitivamente a internet de casa.

Funcionários e a falta de postura

Falta de postura é visível em todos os setores de serviço no Brasil. Funcionários agindo de forma grossa, sem nenhuma preocupação na satisfação do cliente, em fazer a experiência mais agradável, agregando valor ao serviço que está sendo contratado. Clientes não são deuses, mas são o foco  para o sucesso de qualquer negócio.

# Caso Especifico

Recentemente (explicarei mais abaixo) troquei meu serviço de internet, não vou dizer qual a empresa, não quero usar isso como uma reclamação específica. Recebi a visita de dois técnicos com 2 horas de atraso do combinado. Os técnicos chegaram as 20 horas e o combinado era de 12-18, não fui ao trabalho para recebe-los em casa. Os técnicos formavam uma dupla das mais clichês nesse tipo de serviço. Um grandão despreparado e novato, e um baixinho de óculos com uma arrogância impressionante.

Os recebi na saída do elevador para não perderem tempo procurando meu apartamento, são quase 10 no meu andar, dei boa noite e andamos até em meu apartamento. Não responderam meu boa noite, apenas perguntaram se eu era o Alberto. Fiquei chocado como entraram no apartamento antes de mim, pegaram o controle da televisão e trocaram o canal em que estava ligado, sem nem me dizer o nome deles. Todas as perguntas eram respondidas de forma grossa e impaciente. Em determinado momento comecei a ficar nervoso com a falta de “simpatia” no serviço, não precisam ficar sorrindo o tempo todo, mas educação é o mínimo esperado.

Não deixei claro em nenhum momento o nível do meu conhecimento, o quanto sei de tecnologia, mas fiz perguntas curiosas e obtive respostas mais curiosas ainda. Fiquei bastante impressionado com a dificuldade colocada em cima de qualquer pergunta que era feita. Fiz algumas perguntas técnicas bobas, e vi que ele tentava me confundir a todo custo.

# Casos Genéricos

Já comentei que falei com muita gente nesse processo, e em TODOS os lugares tive atendimentos ruins e encontrei pessoas com respostas hostis, e sem nenhuma noção de educação. Todos os horários que foram combinados, com todas as empresas, ou prestadores de serviços autônomos, não foram cumpridos. Nenhum atraso foi notificado, justificado, ou avisado. Pessoas recebendo por serviços, mas não sabem o valor de responder um bom dia, de passar uma postura positiva para cliente, profissionais desinteressados e relapsos. Isso sem comentar o reparo no box do antigo banheiro, que o técnico furou comigo 3 dias seguidos, no dia que consegui ser atendido, ele me ligou 6 horas depois do combinado para resolvermos o problema, ainda perguntando se eu não preferia marcar para o próximo dia.  Este é o retrato dos serviços no Brasil.

Grandes empresas, serviços pobres.

# Imobiliária

Primeiro foi a imobiliária. Depois de resolver todos os tramites da locação, esqueceu de me avisar que eu não tinha relógio de luz no apartamento e que eu deveria fazer todo o processo de primeira ligação sozinho. Para esse processo eu precisava da assinatura do responsável pela imobiliária autenticada, para que a companhia de luz ativasse minha tão desejada energia elétrica. Eu já estava para me mudar dentro de dois dias. A moça da imobiliária me afirmou que era só ir autenticar, mas quando cheguei no cartório a assinatura não batia, e tive que voltar na imobiliária para o real responsável assinar.  Consegui fazer todo o processo depois de me deslocar uns 60 km durante dois dias, tudo graças a falta de informação e os erros da imobiliária. Demoraram 2 semanas para me entregar o controle da garagem, e até hoje não tenho as chaves das caixas de correio.

# Ceb

Consegui fazer a solicitação para a ligação da energia elétrica, o prazo eram 3 dias uteis. Depois que o prazo estourou, em uma segunda feira, liguei para a empresa, estava a 3 dias vivendo no escuro. O atendente da companhia me informou que após o estouro do prazo, não devia demorar mais do que 4 dias para a ligação, e eu não posso multar ninguém? Demoraram mais dois dias.

# Internet 

Fiz a solicitação para transferência da minha linha telefônica e conexão de internet por volta do dia 15 de dezembro, o prazo da empresa é de 3 dias uteis para executar este serviço. No dia seguinte uma funcionária da empresa me ligou, dizendo ter a agenda cheia e pedindo a transferência para o dia 4 de janeiro. Não gosto de bancar o cliente chato, e como  estava indo viajar, aceitei o prazo. Não recebi nenhuma visita no dia 4, quando liguei para saber o que havia acontecido, ouvi uma gravação dizendo que o serviço seria executado no dia 7, em um sábado. São 2 dias inteiros dedicado a espera do serviço e que ninguém apareceu. Quando liguei para questionar, a funcionária bateu os dados comigo e  informou que o endereço estava errado, e que o técnico não encontrou o local nas duas tentativas. O mesmo endereço que confirmaram corretamente comigo no primeiro contato. A atendente me informou que para fazer a troca de endereço, eu precisava cancelar aquela ordem (que demorava 48 horas para ser cancelada) e abrir uma outra para o endereço certo.

Segunda feira liguei na tentativa de reabrir a ordem de serviço que demoraria mais 3 dias uteis para ser executada e recebi uma noticia no mínimo estranha. O ‘Armário’ da minha localização estava lotado, e precisava de uma ordem de verificação de 7 dias uteis para saber se poderia ser transferida a minha conexão banda larga, caso existisse a possibilidade, mais 3 dias para ser executado. Então depois de 3 semanas, eu teria de esperar mais 10 dias uteis, se tudo desse certo. Assinei um novo serviço que foi instalado do zero em 2 dias, com a ressalva da situação do # Caso Especifico, lá em cima.

Completo Descaso

Eu sou até excessivamente educado com as pessoas, mas quando faço isso, espero pelo menos não ser tratado de forma rude, principalmente quando estou contratando um serviço. Em minhas reclamações no twitter, foi geral a insatisfação e os relatos de pessoas com absolutamente o mesmo problema. Nem mesmo os serviços de ajuda ao cliente no twitter resolveram meu problema, não tive nem mesmo um retorno por parte deles.

Em todas as situações faltaram com informações, informaram prazos desconexos e com informações cruzadas, que injustificavam qualquer demora. 7 dias para um técnico visitar um armário e verificar a disponibilidade? 3 dias para transferir uma linha telefônica? 48 horas para cancelar uma ordem de serviço em um service desk? Tudo muito mesclado para confundir os clientes, muita desculpa para esconder o óbvio: As empresas não são capazes de atender a demanda que possuem.

Review do Livro – Epic Win for Anonymous

novembro 9, 2011 § Deixe um comentário

Um livro impressionante. É o que posso começar dizendo. Baixei por a caso, Vi a noticia do lançamento no Gizmodo em setembro, baixei e comecei a ler, não achei que fosse passar da décima página, juro.

O titulo “Epicwin for Anonymous: How the 4chan’s army conquered the web” não me impressionou muito no inicio, tive pouquíssimas expectativas quanto ao conteúdo, mas estava miseravelmente errado. A partir do momento que comecei a ler, fui seduzido por um conteúdo riquíssimo, com pesquisas complexas e profundas sobre, não apenas o 4Chan e a Anonymous, mas sobre toda história da Internet. Não a internet que as pessoas conhecem, mas aquela eu eu sinto falta dos canais de IRC, da época que você sentia que era parte de uma elite favorecida de conhecimento e informação. Cole Stryker aborda tudo desde as antes da época das Usenets, BBS, e Internet. O livro também traz uma análise antropológica muito interessante sobre a cultura dos Memes de Internet, que eu não achava graça nenhuma, mas se tornou um elemento essencial para mim, e importantíssimo para o desenvolvimento da Internet como fonte de cultura.

Um dos grandes pontos do livro é a importância e o impacto da anonimidade. Quando ninguém sabe quem somos, podemos expressar nossos reais sentimentos, nossas reais intenções e sem medo de retaliações. Um universo obscuro se revela dentro de cada ser humano quando você retira as cercas sociais e sobram apenas opiniões.  O livro termina com fantásticos casos de ações (raids) da Anonymous, e grupos correlatos do 4chan e Reddit. Esse livro merece 5/5 pelo seu contexto, forma com que foi escrito, e riqueza da pesquisa aplicada. Fantástico.

  • Arquivo

%d blogueiros gostam disto: